Carrinho

    Você ainda não adicionou nenhum produto ao seu carrinho.

Carrinho

Você ainda não adicionou nenhum produto ao seu carrinho.

BLOG
  • Como montar seu próprio restaurante

    De acordo com o Sebrae, a alimentação fora do lar é um dos setores que mais movimentam a economia do País.

    O brasileiro gasta, em média, 30% da sua renda mensal com alimentação fora do lar. Se esse número fez você pensar em como montar seu próprio restaurante, saiba que é preciso ter cautela.

    Mesmo com o cenário promissor, apenas 3% dos estabelecimentos abertos apresentam vida superior a dez anos, de acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL - São Paulo).

     

    Leia Mais:

    Como montar um Açougue de sucesso

    Você já pensou em abrir uma lanchonete em academias

    7 Erros que podem levar seu restaurante á falência 

     

    Mais alarmante é saber que no estado mais rico do Brasil, 35% dos restaurantes fecham as portas logo no primeiro ano de atividades.

    Entre os principais motivos para um número tão elevado de falências, estão a gestão amadora e a falta de planejamento. Por este motivo, a primeira dica antes de pensar em abrir um restaurante é montar um plano de negócios muito bem detalhado.

    Planeje, planeje e planeje

    2-planeje-planeje-e-planeje

    Abrir um restaurante é um investimento que precisa ser muito bem planejado. Por isso, o plano de negócios é uma ferramenta de fundamental importância para começar essa atividade.

    Ele caracteriza-se por reunir todas as informações necessárias e os passos que devem ser colocados em prática para abrir o restaurante, a fim de garantir o seu funcionamento bem sucedido, desde o início.

    Para facilitar as coisas, o Sebrae disponibilizou em seu site, uma cartilha com os principais pontos para você montar um plano de negócios para o seu restaurante.

    Defina o ramo do negócio

     

    3-defina-o-ramo-do-neg_C3_B3cio

    Durante a montagem do plano de negócios, você precisará definir o ramo de atuação do seu restaurante. Isso ajudará a definir uma série de outros fatores, como a escolha dos fornecedores, o cardápio, o ponto comercial, etc.

    O estabelecimento pode ser self-service, tradicional ou étnico, depende das características que você quiser destacar de acordo com as necessidades do cliente, também definidas no plano de negócios.

    Self Service

     

    4-restaurante-self-service

    Neste modelo de atendimento, a praticidade se destaca, já que os clientes montam seus pratos de acordo com as suas necessidades, já tendo noção do quanto querem gastar para fazer a refeição.

    Por conta da facilidade na hora do colocar a comida no prato este tipo de restaurante é alvo, principalmente, de quem trabalha em lojas, ou tem um horário de almoço limitado, e não pode perder tempo em filas para comer.

    Neste artigo, o Sebrae ensina os primeiros passos para o empreendedor montar o seu restaurante self-service.

    Tradicional ou à La Carte

     

    5-restaurante-a-la-carte

    Neste tipo de restaurante, o cliente ocupa uma mesa, espera o atendimento e é constantemente servido pelo garçom.

    Aqui, a comida por si só não é o diferencial. É preciso ter originalidade, desde a maneira como os funcionários se vestem até às cores escolhidas para os pratos.

    Um dos maiores fatores de insucesso nesses estabelecimentos é justamente o atendimento pois, quanto mais sofisticado for o restaurante, mais exigentes serão os clientes.

    Étnico

     

    6-restaurante-_C3_A9tnico

    Este é o mais arriscado dos três modelos de restaurante. O local para instalação, por exemplo, precisa ser bem mais estudado do que o dos outros tipos citados.

    Por este motivo, é preciso pesquisar as reais necessidades do consumidor, a fim de descobrir se um negócio tão específico terá espaço na região onde ficará localizado.

    Estude e fique informado sobre o setor

     

    7-estude-e-fique-informado-sobre-o-setor

    Ter um restaurante não tem relação direta com saber cozinhar. É preciso saber administrar, ter habilidade de gestão e manter-se sempre atualizado acerca do cenário econômico do seu setor.

    Caso sua experiência não seja suficiente para cuidar do estabelecimento, o ideal é ter um sócio com experiência neste tipo de negócio ou então contratar um bom gerente. Além disso, sempre é possível contar com empresas de consultoria, para garantir a manutenção do negócio.

    Deixe o cardápio atrativo

     

    8-deixe-o-card_C3_A1pio-atrativo

    O cardápio é o elemento que despertará as primeiras impressões sensoriais do cliente. Sendo assim, o papel, a diagramação, as combinações entre os pratos e guarnições precisam ser feitas com dedicação.

    O cardápio não pode ser encarado como uma tabela de preços e sim como um poderoso instrumento de vendas e atratividade para os clientes.

    Nesta publicação do Sebrae você pode conferir todas as informações necessárias para montar um cardápio de sucesso.

    Estabeleça uma boa estrutura operacional para o restaurante

    9-estrutura-do-restaurante

     

    A seleção de equipamentos é um passo importantíssimo na hora de montar um restaurante. É preciso levar em consideração que o cliente deve se sentir importante dentro do estabelecimento, desde a entrada até a saída.

    Você frequentaria um local onde, ao se sentar, as cadeiras quebrassem com facilidade? Coloque todos esses itens no plano de negócios, juntamente com o fogão, a geladeira, o liquidificador e demais produtos imprescindíveis para o funcionamento do restaurante.

    Eles devem ser de qualidade, para que o cliente tenha a melhor experiência ao escolher o seu restaurante para realizar uma refeição.

    Em nosso site você encontra uma série de produtos que te auxiliarão na montagem do seu restaurante, como liquidificadores, fritadeiras e extratores de suco.

    Higiene é Imprescindível

     

    10-higiene-_C3_A9-imprescind_C3_ADvel

    Não é difícil encontrar notícias acerca de restaurantes que são fechados por conta das péssimas condições de higiene. Isso porque a ANVISA possui a Resolução RDC n° 216, que dispõe sobre Regulamento Técnico de Boas Práticas para Serviços de Alimentação, a fim de proteger o consumidor de possíveis riscos à saúde.

    Quem verifica essas normas são os fiscais, que examinam diversos pontos, como:

    - Tipo de edificação e as instalações, que devem ser projetadas de forma a possibilitar um fluxo ordenado e sem cruzamentos em todas as etapas da preparação de alimentos e a facilitar as operações de manutenção, limpeza e, quando for o caso, desinfecção;

    - Higienização de instalações, equipamentos, móveis e utensílios;

    - Controle de pragas urbanas;

    - Sistema de abastecimento de água potável;

    - Controle da saúde dos funcionários;

    - Transporte dos insumos realizado em condições adequadas de higiene e conservação;

    - Alimentos identificados e protegidos contra contaminantes;

    - Áreas de exposição do alimento mantidas organizadas e em adequadas condições higiênico-sanitárias.

    Avalie os custos

     

    11-avalie-os-custos

    Todos os custos devem ser avaliados de acordo com o plano de negócios, estabelecido logo no início. É preciso ressaltar que, para abrir um restaurante, o valor máximo de investimento deve ser calculado com base no faturamento previsto.

    Sendo assim, o lucro líquido não pode ser menor do que 4% do investimento no negócio.

    O investimento inicial de um restaurante self-service fica entre R$ 60 mil e R$ 100 mil, já com primeiras despesas iniciais incluídas.

    Como é o próprio cliente que monta o pratos, o restaurante ainda fica livre da contratação de garçons para realizar o atendimento.

    Com menos de R$ 350 mil, é possível abrir um restaurante à la carte não muito luxuoso. No entanto, é preciso ser criativo para garimpar ideias originais, voltadas ao atendimento e ao cardápio, que devem encantar, principalmente, os clientes mais exigentes.

    Analise a concorrência

     

    12-analise-a-concorr_C3_AAncia

    Após entender como funciona o ramo de alimentação fora do lar, é preciso buscar parcerias e conhecer os bastidores.

    Para isso, visite os concorrentes, saiba o que outros estão fazendo e como o fazem, identifique seus pontos positivos e negativos e principalmente onde você pode superá-los para brigar de igual para igual. Isso ajudará você a conseguir ideias e referências interessantes.

    Gerenciamento de pessoas

     

    13-gerenciamento-de-pessoas

    Um restaurante é feito de pessoas para pessoas. Foi-se o tempo em que os funcionários eram vistos como simples engrenagens que poderiam ser facilmente substituídas dentro de uma organização. Por isso, investir na gestão de pessoas é fundamental para o seu negócio.

    É preciso capacitar os profissionais, colaborar com o seu crescimento, reconhecer e desenvolve-los profissionalmente.

    Também é necessário resolver possíveis conflitos, cuidar dos interesses dos funcionários, estar atentos a quaisquer fatores que ameacem o desenvolvimento de tarefas e garantir que todos estejam felizes e motivados dentro da organização. O resultado de tudo isso certamente será o crescimento contínuo da empresa.

    Ame servir

     

    14-ame-servir

    É preciso entender que não há uma fórmula perfeita para gerenciar um restaurante. Os desafios e problemas são diários, assim como também são a pressão psicológica e a financeira.

    Por isso, é preciso ser dinâmico, criativo, aberto a ideias, amar cozinhar, saber respeitar a comida e se satisfazer com o sorriso do cliente.

    No entanto, para montar um restaurante, o talento na cozinha não é o bastante. O seu sucesso dependerá de um conjunto de fatores, como um bom cardápio, um bom atendimento, preços justos e uma gestão eficiente, essencial para reduzir possíveis riscos.

    Esperamos que este post tenha esclarecido suas dúvidas sobre como montar seu próprio restaurante. Caso queira fazer uma sugestão ou tenha ficado com alguma dúvida, entre em contato conosco!

    Até a próxima!

    Deixe uma resposta
  • Categorias